segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Ao mundo


Quanta falta da pureza
Da própria natureza que  o ser, um dia Humano
Traz
A sutil, sensível beleza interna 
da alma que faz
as pessoas sentirem por dentro o calor
do seu próprio amor
desacreditado
não existir mais
não confia em si, seu mundo
e o que propriamente faz
pouca se valoriza de alma
pois não possui tempo
Apenas corre como o mundo já não consegue mais
Quando sua vida acaba ou muito antes de ser tirada
Percebe o mal, e o pouco bem que traz
Pouco soube aproveitar as próprias opurtunidades
Que o amor soube lhe dar
Mudou de rumo, pois não soube pensar
Nunca tinha tempo, não escutou a si mesmo
Seu egocentrismo gritava por aquilo que não precisava
Trabalhava para agradar os outros
Com rapidez e agilidade
Gastou o que não tinha
Perdeu sua verdade
Seu amor e sua
Dignidade
Seu tempo fora perdido
Um dia ficou parado
Quando viste que seu tempo gastado
Era totalmente em vão
Não soube estender a mão
Nem aos seus pais e aos seus irmãos
No momento de terminar
Com seu próprio egocentrismo
Antes de esfalacer 
Percebeu o tempo
Que fora, logo perdeu
Aos seus pais disse
Suas palavras
que não foram perdidas e pouco faladas
O amor é a nossa morada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostou deste artigo?Deixe seu comentário ou assine nosso feed.